Manter o foco: o que acontece com a gente

Muita gente se queixa que não consegue manter o foco nos estudos para concurso, na dieta, nas atividades físicas, em um projeto do trabalho, em economizar dinheiro.

O que essas situações têm em comum é que são ações diárias necessárias de serem realizadas para se chegar a um objetivo a ser alcançado mais para frente, em médio ou longo prazos.

E o que acontece com a gente, que torna tão difícil “manter o foco”?

Não é tão simples como parece. Não basta querer, pois não somos seres tão simples, não é mesmo?

Estabelecer escolhas parece tão fácil…e tão difícil

Quando escolhemos algo (aqui está o direcionamento do foco), não basta escolher o que queremos de resultado final, mas chegar onde queremos implica em realizar escolhas diariamente.

Se o objetivo é obter aprovação em um teste dentro de seis meses, de hoje ao dia do teste, os dias serão compostos de várias escolhas aparentemente menores, mas fundamentais para se chegar ao objetivo final. No caso do teste, será necessário treino diário e autoconhecimento.

Mas parece tão simples querer chegar lá, e tão difícil percorrer o caminho, não é mesmo?

Manter o foco implica em abrir mão de todo o resto

Ao realizar uma escolha, definir o que quer e onde quer chegar, automaticamente se abre mão de outras escolhas que concorrem com a primeira.

Como é isso? Quando se escolhe emagrecer, abre-se mão da escolha de manter o corpo como está. Quando se escolhe estudar para concurso, está abrindo mão da situação laboral atual. Ao escolher casar, opta-se por abrir mão de permanecer solteiro.

Mas no dia a dia também funciona dessa forma, e aí está um grande desafio durante o percurso. Diariamente escolhas precisam ser feitas, e momentos prazerosos podem ter que perder espaço na rotina. Para quem quer emagrecer, certamente terá de se abdicar das guloseimas refinadas e cheias de gordura hidrogenada. Aos que almejam um cargo público precisarão abdicar-se de vários momentos de diversão, maratonas de séries, esportes que eventualmente se pratiquem – haverá uma limitação nos momentos de lazer.

Abrir mão diariamente de momentos de prazer pode ser um grande fator ligado à procrastinação.

 

A meta é sua?

Uma vez escutei em uma primeira sessão de coaching:

“Todas as pessoas próximas a mim, me consideram muito inteligente e um candidato ideal a um cargo público. Sou organizado para tudo, e sempre me destaquei em assuntos acadêmicos e mesmo no mercado de trabalho. Mas já me inscrevi em vários cursinhos, comprei muitos materiais, e não consigo manter o foco. Um cargo público me daria estabilidade para, aí sim, perseguir o que eu realmente quero”

Já viu isso acontecer com alguém, ainda que com uma meta diferente? É mais comum do que parece. Após uma investigação técnica em coaching, foi possível que nós percebêssemos ali que a meta não era dele, a expectativa não era dele. E parecia que a cada dia que ele se dedicava a passar no concurso, mais distante ele ficava do que ele realmente queria, ou que ele queria após passar no concurso.

Saber que é a melhor escolha, ter a expectativa do outro depositada, e fazer planos, não significa que a meta é sua. É muito mais difícil alcançar as metas de outra pessoa em nós.


Estas são apenas algumas reflexões sobre a dificuldade em manter o foco na meta, no alcance de algo.

Faz sentido para você?

BULLSEYE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s